Casa das Artes inicia temporada de 2022 com exposição sobre cheia histórica do Rio Negro

0
89
A proposta é oferecer um grande acervo de artes visuais sobre a cheia histórica do Rio Negro, registrada em 2021 / Foto: Divulgação

Mais uma opção de lazer e cultura é oferecida na capital. Intitulado “Cheia das Artes”, o projeto apresenta o olhar dos artistas sobre a maior cheia do Rio Negro desde o início dos registros em 1902, que ocorreu em 2021, alcançando a marca de 30,02 metros de cheia na capital.

De acordo com o curador da mostra, José Carlos Pinheiro, ao vivenciar momentos grandiosos, os artistas se vêem na obrigação de deixar um resgate histórico para as gerações futuras.

Obras da exposição de Elizabeth Grubinger (à esquerda) e Hebe Sol (à direita). / Fotos: Divulgação/SEC

A exposição iniciou no sábado, 15 de janeiro e fica em cartaz até 6 de março, na Casa das Artes, localizada no Largo de São Sebastião. Com pinturas de diversas técnicas, desenhos, fotografias, audiovisuais e poesia, a mostra que tem curadoria de José Carlos Pinheiro reúne artistas da capital como Alfredo Araújo, Eli Bacelar, Elizabeth Grubinger, Edson Queiroz, Francimar Barbosa, Fernando Júnior, Gisele Alfaia, Homero Amazonas, Hebe Sol, José Stênio, Mariana Rebouças, Nailson Novato, Raiz, Selma Carvalho, Sebastião Cândido e Zeca Nazaré, além de artistas do Interior do Amazonas como Clínio Roosevelt, de Tefé, Evanil Silva, de Parintins, e Téo Braga, de Itacoatiara.

“A nossa contribuição é fundamental. Um dia, quem sabe, seremos lembrados por um trabalho que foi feito e um dia vai estar em livros, vai estar na Pinacoteca. Boa parte desse acervo vai fazer parte da história da nossa terra, e essa é a minha contribuição”, disse José Carlos, durante a abertura da exposição.

Localizada no centro histórico de Manaus, a Casa das Artes é aberta de terça-feira a domingo, de 15h às 20h, com entrada gratuita e livre para o público de todas as idades, sem necessidade de agendamento. A entrada é controlada para evitar aglomerações no interior do espaço.

Seguindo protocolos de segurança contra a Covid-19, assim como todos os outros espaços administrados pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, é necessário apresentar comprovante de vacinação na entrada do local, passar por aferição de temperatura e manter distanciamento entre as pessoas de 1,5 metro.

“Por ser um evento sem necessidade de agendamento nós fazemos o controle da entrada de pessoas, sendo 30 por vez. O espaço é arejado e seguimos todos os procedimentos de prevenção a Covid”, explicou Cristóvão Coutinho, curador da Casa das Artes.