Confira 10 curiosidades sobre o Teatro Amazonas

0
130
Em 2021, o Teatro Amazonas completa 125 anos de história. / Foto: Istock

O Teatro Amazonas completa 125 anos, no dia 31 de Dezembro de 2021. Além de ser considerado uma das principais casas de espetáculos do Brasil, o monumento histórico encanta seus visitantes pela sua estrutura que lembra a Belle Époque em Manaus. Sendo o principal cartão-postal da cidade, o Teatro tem uma extensa história desde a sua construção em 1896 durante o ciclo da borracha. Além disso, alguns acontecimentos que marcaram o enredo do povo amazonense aconteceram no palco desse teatro.

A Amz.Live reuniu 10 curiosidades sobre o Teatro Amazonas, além de alguns acontecimentos históricos do qual o Teatro foi palco. Confira a seguir:

1. AS SPICE GIRLS JÁ ESTIVERAM NO TEATRO AMAZONAS:

‘Spice Girls’ visitaram o Teatro Amazonas em 1997. Fotos: Reprodução

Durante os seus 125 anos de shows e apresentações, já passaram pelo palco do Teatro Amazonas diversos artistas internacionais de muito sucesso. Entre eles, os tenores José Carreras e Luciano Pavarotti, o músico Roger Waters, a cantora Shakira e as bandas Spice Girls e The White Stripes. Além deles, os brasileiros Heitor Villa-Lobos, Milton Nascimento, Ana Botafogo e Bibi Ferreira também marcaram presença no palco do Teatro.

Em 1997, as cantoras da banda Spice Girls fizeram uma entrevista coletiva no Teatro Amazonas. Em seguida, cantaram para o público diretamente da varanda do Teatro, levando os fãs à loucura.

2. É POSSÍVEL ‘VER’ A TORRE EIFFEL DE PARIS NO INTERIOR DO MONUMENTO:

Pinturas e arquitetura trazidas da Europa no período áureo da borracha no final do Século XX / Foto: Alexinaldo Granela


Ao visitar o Teatro é possível visualizar a base da torre em meio às quatro pinturas no teto que representam: tragédia, dança, música e ópera. Várias pessoas que visitam o interior do teatro pela primeira vez comentam que é como se estivessem contemplando o monumento parisiense de baixo.

Alguns historiadores refutam a ideia, dizendo que na época da pintura, a Torre Eiffel ainda não tinha a representatividade e fama que ganhou ao longo dos tempos. A história nos conta que o pintor idealizou em sua obra arcos de abóboda simulando a sustentação do lustre, originário da Casa Italiana Murano, mas como a pintura não foi assinada, não se sabe se fora realizada por Crispim do Amaral ou algum outro pintor.

3. A CÚPULA DO TEATRO POSSUI MAIS DE 36 MIL PEÇAS:

A cúpula do Teatro foi adquirida na Casa Koch Frères, em Paris, e seu pintor ornamental foi Lourenço Machado/ Foto: Ramesh Thadani

A grande cúpula que fica em cima do terceiro andar da construção é feita de um mosaico com 36.000 peças de cerâmica em forma de escama de peixe em verde, amarelo e azul. A construção foi feita com intuito de fazer alusão à bandeira do Brasil e à república brasileira que era considerada jovem na época da inauguração do Teatro. Alguns relatos antigos de grupos monarquistas chegaram a chamar a arquitetura da cúpula de “monstruosidade” pelo uso de cores e os losangos fazendo referência à bandeira do país.

4. O TEATRO AMAZONAS DEMOROU 15 ANOS PARA SER CONCLUÍDO:
Inaugurado pelo governador Eduardo Ribeiro, em 1896, o Teatro Amazonas levou 15 anos para ficar pronto. O projeto de construção foi feito pelo deputado provincial Antônio José Fernandes Júnior em 1881, mas ficou abandonado por oito anos. As obras só foram retomadas com o início da gestão de Eduardo Ribeiro, quando o projeto tomou impulso. Antes, o espaço servia de campo de futebol amador.

5. AS CORES DO TEATRO MUDARAM AO LONGO DOS ANOS; ELE JÁ FOI AZUL E CINZA:

Teatro Amazonas pintado na cor azul, em 1979. Foto: Reprodução

Uma das coisas que mais encantam os turistas e amazonenses atualmente é a cor rosa do Teatro Amazonas, mas durante o decorrer dos anos e suas diversas manutenções, o monumento já foi pintado de diferentes cores. Mário Ypiranga Monteiro defendia que cinza era a cor original da casa de ópera, e por esse motivo, na época da ditadura militar, o Teatro foi pintado nessa cor, em 1980.

6. OS MELHORES ASSENTOS ERAM OCUPADOS PELOS MAIS POBRES:

Os assentos em frente ao palco era reservado aos mais pobres, enquanto os camarotes no alto do Teatro eram ocupados pela elite manauara./ Foto: Alexinaldo Granela

Na época da construção do Teatro, a elite manauara que ia assistir aos espetáculos e às apresentações de ópera tinha a sensação de “superioridade’’ ao ocupar os camarotes acima da plateia. Naquele tempo, quanto maior o andar significava que mais influente era a família. No entanto, os camarotes apresentam uma visibilidade consideravelmente reduzida dos espetáculos e além disso, a acústica também é menos impactante nos andares de cima em relação aos assentos de frente ao palco, no térreo.

Por esse motivo, quando os eventos se tornaram abertos também para a classe mais pobre da cidade, essa parcela da população ocupava os assentos em frente ao palco, que apresentavam nada mais nada menos que a melhor visibilidade das performances.

7. O TEATRO FOI TOMBADO COMO PATRIMÔNIO HISTÓRICO NACIONAL:
O Teatro Amazonas foi construído entre 1884 e 1896, em um período quando a cidade possuía apenas cem mil habitantes e foi tombado em 1966, sendo o primeiro monumento tombado em Manaus pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). A nomeação ocorreu pelo fato do Teatro representar o ciclo da borracha no Estado e pela sua arquitetônica única no Brasil. Além disso, ele foi indicado para tombamento como Patrimônio da Humanidade pela Organização das Nações Unidas (ONU).

8. O TEATRO AMAZONAS POSSUI VISITA VIRTUAL 360°:

Visitantes podem conhecer o interior do Teatro de forma Virtual/ Foto: Reprodução

Por conta da pandemia de coronavírus no estado, o Teatro Amazonas precisou fechar as portas para visitas por um longo período de tempo. Para que os interessados ainda pudessem conhecer um pouco mais do Teatro de perto, foi criada uma visita virtual em 360 graus no site da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, onde os visitantes podem adentrar o prédio e explorar as diversas salas do Teatro.

Ao andar pelo Teatro Amazonas neste Tour Virtual, o visitante pode ler sobre o “Espelho da Verdade”, o “Camarim de Cena”, observar a maquete de Lego do Teatro Amazonas, conhecer mais do Salão de Espetáculos e descobrir detalhes sobre o fosso da orquestra, entre outras curiosidades.

A visita em 360° ainda está disponível no Portal da Cultura Amazonas.

9. O PRIMEIRO ESPETÁCULO APRESENTADO FOI “LA GIOCONDA’’
No dia 31 de dezembro de 1896 o Teatro Amazonas foi inaugurado, e para a grande festa de abertura, a ópera apresentada foi a italiana “La Gioconda”, de Amilcare Ponchielli, sob a regência do maestro brasileiro Joaquim de Carvalho Franco, que foi diretor da Academia Amazonense de Belas Artes. ‘’La Gioconda’’ foi o primeiro espetáculo apresentado no palco do Teatro Amazonas e a Companhia Lírica Italiana foi a responsável pela performance em Manaus.

Relatos de funcionários do local afirmam que todo ano é possível notar aparições que remetem à realização do espetáculo “La Gioconda’’. Os funcionários acreditam que fantasmas recriam a apresentação fielmente no aniversário do Teatro Amazonas, comemorado no dia 31 de dezembro.

10. O TEATRO AMAZONAS TAMBÉM É UM MUSEU HISTÓRICO:

O Museu do Teatro Amazonas recebe média de 9.000 visitantes por mês, podendo chegar a 14.000 em períodos de alta temporada. Foto: Reprodução

O Museu do Teatro Amazonas foi criado em 1971, sob a coordenação do compositor e cantor Pedro Amorim. O Museu tem o objetivo de mostrar as peças mais raras e equipamentos utilizados pelo Teatro Amazonas em épocas longínquas.

No local podem ser encontrados objetos de uso pessoal de artistas, como as sapatilhas dos bailarinos Margot Fonteyn, Marcelo Mourão Gomes, Ana Laguna e Mikhail Baryshnikov, além de vasos de porcelana, jarros ingleses, escarradeiras holandesas em porcelana, lâmpadas de 1896 e programas de espetáculos do final do século XIX. Todas essas peças e raridades fazem parte do acervo histórico e artístico conservado ao longo dos mais de 125 anos do Teatro.

A visitação é organizada conforme os mais modernos padrões, com guias bilíngues, valorizando e diversificando a programação do tour.

Funcionamento:
De terça a sábado, das 9h às 17h; domingo, das 9h às 14h.
Acesso mediante pagamento de bilheteria
Valor: 20,00 (inteira) e 10,00 (meia entrada)
Gratuito para: amazonenses, crianças até 10 anos, pessoa com deficiência. Amazonenses devem apresentar seus documentos
Meia entrada para: estudantes e professores; idosos acima de 60 anos; doadores de sangue; militares; acompanhantes de pessoas com deficiência