Tapioca: conheça sua origem indígena e aprenda o modo de preparo

0
158
Do tupi tïpï’og (coágulo), a tapioca representa uma herança indígena versátil e muito bem aproveitada / Foto: Istock

Quem visita o Amazonas não pode deixar de provar essa iguaria. Hoje vamos falar dela: A Tapioca! Você já se perguntou como surgiu a Tapioca? A queridinha do café da manhã regional amazonense tem origem indígena e já serviu até como base da alimentação dos escravos no Brasil.

Conheça um pouco da sua história a seguir:

Desde 2006, a Tapioca é considerada um Patrimônio Imaterial e Cultural, pelo Conselho de Preservação do Sítio Histórico de Olinda e nos últimos anos ela tem sido reconhecida como uma das comidas mais consumidas no país. Porém, a sua história começa bem antes.

Sua origem vem do povo tupi-guarani que, anteriormente aos portugueses, ocupavam a faixa litorânea Leste do território brasileiro desde o Sul até o Norte. Esse povo foi responsável pelo domínio comestível da mandioca, que era a base da alimentação do Brasil na época. Na linguagem tupi “tïpï’og” – ou tapioca – significa coágulo, e esse coágulo vem da farinha que é obtida a partir do amido presente na mandioca.

Nas primeiras décadas pós-descobrimento no século XVI, viajantes estrangeiros já registravam a existência dos beijus, preparados pelos índios com a goma da mandioca. Segundo a antropóloga Paula Pinto e Silva, autora do livro “Farinha, feijão e carne-seca – Um tripé culinário no Brasil colonial (Senac-SP)”, tais bolos redondos, regados com mel, eram consumidos logo pela manhã e ao longo do dia. Essa é uma tradição que continua até os dias de hoje.

No século XVI, viajantes estrangeiros já registravam a existência dos beijus, preparados pelos índios com a goma da mandioca / Foto: Istock

A tapioca que vem da mandioca -também conhecida como aipim ou macaxeira dependendo da região-, faz parte da dieta do amazonense há muitos anos e assim como outros ingredientes da culinária nortista, ela é de origem indígena. Poucos anos após o seu descobrimento, os colonizadores portugueses na Capitania Hereditária de Pernambuco descobriram que a tapioca servia como bom substituto para o pão. E foi assim que a tapioca logo se espalhou pelos demais povos indígenas, como os Cariris no Ceará e os Jês, na Amazônia oriental. Posteriormente, ela ainda se transformou na base da alimentação de escravos no Brasil.

Essa fécula que, inicialmente, extraiu-se da mandioca e virou Tapioca nas mãos dos índios, hoje possui infinitas variações de recheios nas mãos dos chefs de cozinha. No Amazonas você encontra diversos sabores de Tapioca, como por exemplo, queijo, presunto, ovo, tucumã (fruta típica da região), banana frita e muito mais. Tudo isso serviu para transformar a tapioca em um dos mais tradicionais símbolos da culinária por quase todo o Norte e Nordeste.

ETIMOLOGIA: Explicações para a origem do termo tapioca

1) Vem do tupi tapi (pão) + oca (casa).
2) Vem da palavra tipi’óka, aglutinado, o nome para este amido em língua tupi; e pode referir-se tanto ao produto obtido da fécula quanto ao prato em si feito a partir dele.
3) Vem do termo tupi tïpï’og, sedimento, coágulo.
4) Vem do termo tupi antigo tapi’oka.

Prepare a sua Tapioca!

Em uma frigideira antiaderente aquecida em fogo brando espalhe uma porção da goma de tapioca e com as costas de uma colher, cubra o fundo da frigideira de modo uniforme. Após assar um pouco, passe uma pequena quantidade de manteiga sobre a tapioca e recheie de acordo com a sua preferência (tradicionalmente com queijo coalho e tucumã, no Amazonas). Asse por mais dois a quatro minutos – ou até que a mistura fique com suas bordas soltas da frigideira.

Em seguida, dobre a sua tapioca no meio, passando um pouco de manteiga em ambos os lados e assando por mais um minuto. Pronto! Agora é só saborear a sua tapioca!

A tapioca é uma comida de origem indígena, extremamente saudável e versátil / Foto: Istock