Como visitar o Encontro das Águas

0
3624
Encontro das Águas, próximo a Manaus. Foto: iStock/Divulgação
Encontro das Águas, próximo a Manaus. Foto: iStock/Divulgação

O que é o Encontro das Águas

Talvez você já tenha visto por foto ou, com certeza, já ouviu falar do fenômeno hidrológico que une os rios Negro e Solimões. A beleza do encontro das águas vista de cima é incontestavelmente linda, mas experienciar esse encontro bem de perto também é indescritível. 

São vários fatores que contribuem para que os rios não se misturem, desde a temperatura e densidade das águas até a velocidade de suas correntezas. Os dois rios ficam lado a lado por uma extensão de mais de 6km.

Como conhecer

A forma mais popular de visitar o encontro das águas é através de agências de turismo da cidade que oferecem pacotes com tour para conhecer os botos, tribos indígenas, uma parte da floresta amazônica e, é claro, a beleza do encontro das águas. Mas há também excursões particulares e personalizadas para quem não quiser um tour completo.

Como esse passeio é feito de barco ou lancha, há alguns portos pela cidade que servem de ponto de chegada e partida, conheça alguns deles:

– Píer do Tropical Hotel, no bairro da Ponta Negra;

– Portos do Roadway ou da Manaus Moderna, ambos no centro da cidade.

– Porto do Ceasa, que fica no Mauazinho, Distrito Industrial. É o ponto mais próximo do encontro entre o Rio Negro e Solimões. Nesse local é possível encontrar uma associação de barqueiros que fazem passeios em grupo com destino único ao encontro das águas.

Melhor época do ano 

Cada época do ano tem o seu atrativo para quem deseja conhecer esse espetáculo da natureza, mas de março a julho, no período de cheia, é possível adentrar nos furos e braços de rios,  e, quem sabe, se deparar com animais como pássaros, macacos e preguiças.

Independente da época que você for, conhecer o encontro das águas proporciona uma experiência sensorial incrível. O Rio Negro é quente, o Rio Solimões é frio. Se você estiver em um barco pequeno, peça para o barqueiro diminuir a velocidade e coloque as mãos nas águas; a diferença de temperatura é notória. Mas atenção, não é recomendado nadar nas águas. Esta é uma área de muita dificuldade até para nadadores profissionais. Então, siga a orientação do guia e preserve a sua segurança.

O que levar 

Sugerimos que você use roupas e sapatos que sejam leves e confortáveis, mas também é importante usar óculos de sol, chapéu ou boné e protetor solar, caso necessário, leve também repelente.

Várias agências de turismo da cidade disponibilizam passeios em grupos e privativos para conhecer, não só o encontro das águas, mas também outras belezas da amazônia. 

Entre elas estão: Amazon Explorers Turismo, Amazonas by Viverde, Amazon Eco Adventure Tours, Cooperativa Solinegro e muitas outras.

O valor do passeio varia entre 100 a 150 reais por pessoa com direito a um passeio completo e até almoço incluso.

No Porto do Ceasa há uma associação de barqueiros que fazem passeios apenas pelo encontro das águas, mas também oferecem outras opções com um tour mais completo. 

No Ceasa também estão as lanchas da Solinegro, uma cooperativa legalizada no órgão estadual, onde os pilotos são moradores de comunidades ribeirinhas e pilotam com a autorização do Ministério do Turismo. O valor cobrado é cerca de R$100 reais para um grupo de 4 pessoas e o tour dura, em média, meia hora. Passeios mais elaborados variam de preço, de 200 a 300 reais para um grupo de 4 pessoas, e incluem outras atrações, como pesca de pirarucu, visita a comunidades, caminhadas na selva, visita ao lago de Janauary e, de quebra, você estará navegando na maior bacia fluvial do mundo.

O convite está lançado! Venha conhecer o encontro das águas e aproveite ao máximo essa experiência encantadora.